Low e no poo: Sinta a diferença nos fios mudando ou abrindo mão do shampoo

0
3501

A técnica Low e No Poo ( lavagem com shampoo especial ou sem shampoo) virou a queridinha das crespas e cacheadas. Isso porque, quem optou por ela, garante que os fios não só encorpam como ganham mais definição além de ficaram muito mais hidratados. O efeito detergente dos shampoos tradicionais, causado por fortes sulfatos,  acaba também removendo os nutrientes do fio do cabelo durante a lavagem. Mas e o condicionador? Bem, se na fórmula do seu condicionar há silicones não solúveis é certo que seus fios não estão absorvendo toda aquela hidratação que você  faz durante os “banhos de creme” e umectações.

Existe uma lista  gigante com as substâncias permitidas para quem usa a técnica, mas felizmente já é possível encontrar produtos feitos especialmente para low and no poo, que dispensam a investigação do rótulo.

natural-hair-washing

Janaína Gomes, gerente industrial da Bio Extratus, que acaba de lançar a “Linha Cachos Perfeitos”, destinada para pessoas que optaram por esse método de lavagem, tira algumas dúvidas comuns sobre a técnica LowNo-Poo.

Quais são as diferenças do no-poo e  low-poo, na questão do resultado do cabelo a longo prazo. Quem abdica do shampoo totalmente, tem melhor resultado de quem usa o shampoo permitido?

O No poo há uma limpeza mais suave que o low poo, favorecendo a hidratação natural. Porém, cada cabelo tem uma necessidade diferente e intercalar o uso com o Low poo é importante para não deixar os fios oleosos.

A partir de quando é possível perceber os resultados?

Ao lavar os cabelos com os produtos no poo e low poo você já vai perceber que o sensorial é bem diferente.

Os cabelos crespos são mais ressecados. Quantas vezes você recomendaria a lavagem dos fios?

Esta frequência é variável, depende da oleosidade natural da raiz, da quantidade de finalizadores que a pessoa usa e dos hábitos da consumidora. Sugerimos começar aplicando Low poo 1 vez por semana e a consumidora ajustar a frequência de acordo com a necessidade.

Comments

Comentários