Leci Brandão assina a orelha do livro “Maioria Minorizada” , o primeiro da Coleção Pensamento Negro Contemporâneo

0
1075

O livro “Maioria Minorizada: um dispositivo analítico de racialidade“, de Richard Santos, comunicólogo, rapper, ativista de movimentos negros / sociais e professor da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) é a primeira obra da Coleção Pensamento Negro Contemporâneo (Editora Telha). Uma Live de Lançamento acontece nessa quinta-feira (8), às 19h30, no Facebook da Editora Telha, para celebrar a dupla estreia.

A Deputada Estadual (SP) Leci Brandão, que assina a orelha do livro; Maria do Carmo Rebouças (Professora da UFSB), autora do prefácio; Ângela Guimarães, presidenta licenciada da União de Negros e Negras pela Igualdade (Unegro) e Juliana Cézar Nunes (Cojira/DF, Pretas Candangas), coordenadora do Sindicato de Jornalistas Profissionais (DF), lideranças de movimentos negros e sociais são as convidadas da Live de Lançamento.

Estar virtualmente com essas mulheres negras, representantes de áreas de atuação acadêmica e ativismo em comum, além de representativas da própria Maioria Minorizada, foi a forma que encontramos para fazer do lançamento uma celebração coletiva em tempos de pandemia”, afirma Richard Santos.

A obra visa introduzir ao público o dispositivo analítico de racialidade Maioria Minorizada, um signo de representação unificador do discurso e proposta de emancipação negra.  O autor compreende Maioria Minorizada como o grupo social majoritariamente formado por pretos e pardos (negros), conforme categorização do IBGE, que formam a maioria demográfica da população brasileira, mas se constitui em “minoria” no que se refere ao acesso a direitos, serviços públicos, cidadania, representação política. Ao mesmo tempo, são “maiorias” em todo o processo de espoliação econômica, social, cultural e como vítimas de todas as formas de violência.

Ainda segundo o autor, a construção do conceito de Maioria Minorizada e do dispositivo analítico conjugam a vivência em comunidade com sua caminhada intelectual: “Minha obra e trajetória são um compromisso intelectual de permanente justiça epistêmica articulado a um esforço de interpretação da realidade histórica e a produção intelectual daí advinda. Pesquiso, escrevo e estudo para romper, de uma vez por todas, com o complexo colonial, com o racismo e o epistemicídio”.

Trechos do Livro:

“É fazer ver que os instrumentos utilizados para nos sacar a voz e subalternizar, fazendo-nos ventríloquos de nossos algozes, seres de cidadania mutilada, não foram tão eficientes assim, estamos vivos, ainda que carregando alvos nas costas, produzimos conhecimento a partir do saber acumulado e das vivências experienciadas. Enunciamos.”

“Dessas invisibilidades, opressões e discursos para a vida (anti-morte), é que nasce a reafirmação da cultura e ocupação do espaço na disputa do poder. Dessas experiências e lugares é que vimos os(as) intelectuais negros(as) atravessando fronteiras, rompendo barreiras invisíveis para se fazerem humanamente visíveis, presentes e contribuintes da sociedade contemporânea. É do campo da Maioria Minorizada, dos territórios negros a que foram postos, é que vimos ecoar conhecimentos e saberes insurgentes, reveladores de sua cognição complexa e de possibilidades não determinadas pela parede da opressão. “

“Ao apresentar esse novo paradigma, Maioria Minorizada, me alinho à práxis das ciências sociais latino-americanas que têm uma vocação crítica de questionar o paradigma dominante, de buscar formas de emancipação e gerar reflexões que vão além da mera reprodução de pressupostos construídos em outros contextos. Assim, recupera-se a história não contada, a versão dos invisibilizados, a oralidade, os métodos não cartesianos, as verdades não estabelecidas, a alteridade.”

SERVIÇO

Live de Lançamento do livro Maioria Minorizada

Dia 08 de outubro, às 19h30

Link da Live: https://www.facebook.com/editoratelha

Pré-venda: http://bit.ly/MaioriaMinorizada

Comments