Kwanzaa, o” natal africano” que celebra a união e valorização dos afrodescendentes

4012
3536

Já que importamos o Papai Noel branquinho de olhos azuis, a neve, entres outros símbolos que não tem nada a ver com a cultura brasileira, que tal variar e trazer um pouco da cultura africana e afro-americana para suas celebrações de final de ano. A festa tem origem americana, mas está começando a ser celebrado também fora dos EUA, como no Canadá e na região do Caribe. Mas afinal, o que é o Kwanzaa.

Redação Site Mundo Negro – Com o objetivo de fortalecer os valores de comunidade e união familiar depois das depois da violenta rebelião de Watts (causada por abuso policial contra um jovem negro em 1966) o professor  Dr. Maulana Karenga, presidente de um centro de estudos negros na California State University e ativista dos direitos civis nos anos 60,  criou para uma celebração para unir os  afro-americanos com base em costumes do continente africano. Assim nasceu o Kwanzaa  nome derivado da frase “matunda ya kwanza”, que significa “primeiros frutos” em suaíli (língua de origem queniana).

Cada família celebra Kwanzaa da sua própria maneira, mas as celebrações geralmente incluem canções e danças ,batucada com tambores africanos, leitura de histórias e poesias e uma grande refeição tradicional. A celebração dura sete dias, iniciando no dia 26 de dezembro e encerrando no dia 1º de janeiro.

Em cada uma das sete noites, a família se reúne  ao redor  das luzes uma das velas no Kinara (castiçal) onde os princípios da Kwanzaa são discutidos. Esses princípios, chamados de Saba Nguzo (sete princípios em suaíli) são valores da cultura africana que contribuem para a construção e reforço comunidade entre afrodescendentes

Família celebrando o Kwanzaa com leitura frente a mesa com frutas e castiçal

A cada dia uma vela de cor diferente deve ser acesa num altar onde são colocadas frutas frescas e uma espiga de milho correspondente ao número de crianças que houver na casa. Depois de acesa a vela ( a vela preta deve ser acesa na primeira noite) , todos bebem de uma taça comum em reverência aos antepassados, e saúdam com a exclamação “Harambee”, que tanto significa “reúnam todas as coisas” como “vamos fazer juntos”. A grande festa é a de 1 de janeiro, quando há muita comida, muita alegria e onde cada criança deve ganhar três presentes que devem ser modestos: um livro, um objeto simbólico de referência africana e um brinquedo.

 Sete Princípios

Os sete princípios, ou Nguzo Saba são um conjunto de ideais criados pelo Dr. Maulana Karenga. Cada dia de Kwanzaa enfatiza um princípio diferente.

Unidade: Umoja (oo-MO-jah)
Esforçar-se para e manter a unidade na família, comunidade, nação e raça.

Autodeterminação: Kujichagulia (koo-gee-cha-goo-LEE-yah)
Para definir a nós mesmos, o nome de nós mesmos, criamos para nós mesmos e falar para nós mesmos.

Trabalho coletivo e responsabilidade: Ujima (oo-GEE-mah)
Para construir e manter a nossa comunidade e resolver o problemas desta juntos.

 Cooperativa de Economia: Ujamaa (oo-JAH-mah)
Para construir e manter nossas lojas próprias, lojas e outros negócios e para lucrar junto com eles.

 Objetivo: Nia (nee-YAH)
Para tornar a nossa vocação coletiva a construção e desenvolvimento da nossa comunidade, a fim de restaurar nossos povos a sua grandeza tradicional.

 Criatividade: Kuumba (koo-OOM-bah)
Para fazer sempre tanto quanto pudermos, da maneira que pudermos, a fim de deixar nossa comunidade mais bela e benéfica do que herdou.

 Fé: Imani (ee-MAH-nee)
Acreditar com todo nosso coração em nosso povo, nossos pais, nossos professores, nossos líderes, na justiça e vitórias das nossas lutas.

 Os sete símbolos do Kwanzaa

Sete símbolos são exibidos durante a cerimônia do Kwanzaa para representar os sete princípios da cultura e da comunidade africana.

  1.      Mkeka (M-kay-cah): é a esteira (geralmente feita de palha, e que também pode ser feita de tecido ou papel) sobre a qual todos os outros símbolos do Kwanzaa são colocados. A esteira representa a base das tradições africanas e da história .
  2.      Mazao (Maah-zow): as safras, frutas e vegetais representam as celebrações da colheita africanas e mostram respeito pelas pessoas que trabalharam no cultivo.
  3.      Kinara (Kee-nah-rah): o candelabro representa a base original da qual todos os ancestrais africanos vieram e contém sete velas.
  4.      Mishumaa (Mee-shoo-maah): nas sete velas, cada uma representa um dos sete princípios. As velas são vermelhas, verdes e pretas, cores que simbolizam o povo africano e sua luta.
  5.      Muhindi (Moo-heen-dee): o milho representa as crianças africanas e a promessa de futuro para elas. Um sabugo de milho é colocado para cada criança da família. Em um família sem crianças, um sabugo de milho é colocado simbolicamente para representar as crianças da comunidade.
  6.      Kikombe cha Umoja (Kee-com-bay chah-oo-moe-jah): a Taça da União simboliza o primeiro princípio do Kwanzaa, ou seja, a união da família e do povo africano. A taça é usada para derramar a libação (água, suco ou vinho) para a família e os amigos.
  7.      Zawadi (Sah-wah-dee): os presentes representam o trabalho dos pais e a recompensa para seus filhos. Os presentes são dados para educar e enriquecer as crianças, e podem ser um livro, uma obra de arte ou um brinquedo educativo. Pelo menos um dos presentes é um símbolo da herança africana.

 As velas

Sete velas são colocadas dentro do Kinara:

  • no centro há uma vela preta representando o primeiro princípio: união (Umoja);
  • à esquerda da vela preta estão três velas vermelhas, representando os princípios de auto-determinação (Kujichagulia), economia cooperativa (Ujamaa) e criatividade (Kuumba);
  • à direita da vela preta estão três velas verdes, representando os princípios de trabalho coletivo e responsabilide (Ujima), próposito (Nia) e (Imani).

Com informações do Site Oficial sobre Kwanzaa

Comments

Comentários