Juneteenth: Michelle Obama se pronuncia sobre o dia da emancipação dos EUA

0
333

No dia 19 de junho é comemorado nos Estados Unidos um feriado anual do “fim da escravidão” no país. A data foi escolhida porque em 19 de junho de 1965, dois anos e meio depois da Proclamação de Emancipação do Presidente Abranham Lincoln, os afro-americanos escravizados no Texas foram informados que estavam libertos e sobre o fim da Guerra Civil.

A ex-primeira dama Michelle Obama, publicou em seu instagram um vídeo que explica o motivo do feriado e a fala de que é um dia para celebrar a liberdade, a cultura e o progresso, segundo o mesmo. Juneteenth é a mais antiga comemoração nacionalmente celebrada do fim da escravidão nos Estados Unidos.

Michelle publicou junto com o vídeo um depoimento pessoal em homenagem à data, na qual pediu para que continuássemos a lutar pelos direitos negros e que, mesmo com dores no caminho, o progresso já está acontecendo. “Mesmo que a história nunca tenha sido organizada, e os negros tiveram que marchar e lutar por cada centímetro de nossa liberdade, nossa história ainda é de progresso. Penso na jornada da minha própria família. Ambos os meus avós eram netos de pessoas escravizadas. Eles cresceram no Jim Crow South e migraram para o norte em busca de uma vida melhor. Mas, mesmo assim, eles ainda estavam excluídos dos empregos, escolas e oportunidades devido à cor de sua pele. Mas eles avançaram com dignidade e propósito, criando bons filhos, contribuindo para suas comunidades e votando em todas as eleições. E embora eles não tenham vivido para ver por si mesmos, posso ver o sorriso em seus rostos, suas bisnetas jogaram bola nos corredores da Casa Branca.”

Garantindo que a data é um importante marco para a história dos Estados Unidos, Michelle lembrou das antigas pessoas que foram escravizadas mesmo depois do decreto que os colocava como homens livre diante da sociedade Americana.

“Muitos de nós fomos ensinados que a escravidão chegou ao fim quando o Presidente Lincoln assinou a Proclamação de Emancipação em 1863. Mas, como costuma acontecer, a promessa completa deste país foi adiada para segmentos da comunidade afro-americana. E para as pessoas escravizadas em Galveston, Texas, a liberdade não veio até 19 de junho de 1865.” Completou ela.

Confira o post:

View this post on Instagram

Most of us were taught that slavery came to an end when President Lincoln signed the Emancipation Proclamation in 1863. But as is so often the case, the full promise of this country was delayed for segments of the African-American community. And for enslaved people in Galveston, Texas, freedom didn’t come until June 19, 1865.⁣ ⁣ And what I love about #Juneteenth is that even in that extended wait, we still find something to celebrate. Even though the story has never been tidy, and Black folks have had to march and fight for every inch of our freedom, our story is nonetheless one of progress. I think of my own family’s journey. Both of my grandfathers were the grandchildren of enslaved people. They grew up in the Jim Crow South and migrated north in search of a better life. But even then, they were still shut out of jobs and schools and opportunities because of the color of their skin. But they pressed forward with dignity and with purpose, raising good kids, contributing to their communities, and voting in every election. And though they didn’t live to see it themselves, I can see the smiles on their faces knowing that their great-granddaughters ended up playing ball in the halls of the White House—a magnificent structure built by enslaved Americans.⁣ ⁣ All across the country, there are so many more parts to this story—the generations of families whose work and service and protest has led us forward, even if the promise we seek is often delayed. This Juneteenth, let’s all pledge to keep using our voices—and our votes—to keep that story marching forward for our own children, and theirs.

A post shared by Michelle Obama (@michelleobama) on

Comments

Comentários