Ismael Ivo: Governo de São Paulo dá nome de grande bailarino negro a nova escola de dança

0
Ismael Ivo: Governo de São Paulo dá nome de grande bailarino negro a nova escola de dança
Foto: Divulgação.

Centro de formação cujo nome é uma homenagem ao grande bailarino, morto este ano vítima de covid-19, ficará no Complexo Cultural Júlio Prestes. Eixo de formação contempla cursos técnicos e de extensão e a primeira turma está prevista para o segundo semestre de 2022 

O Governo de São Paulo anunciou a criação da São Paulo Escola de Dança Ismael Ivo – Centro de Formação em Artes Coreográficas. O centro ficará no Complexo Cultural Júlio Prestes onde já estão importantes equipamentos do Estado, como a Sala São Paulo, a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), o Memorial da Resistência e a Pinacoteca Estação, além da sede da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado. A implantação será feita ao longo do primeiro semestre e a primeira turma começará no início do segundo semestre de 2022.

O nome do novo corpo artístico é uma homenagem ao bailarino e coreógrafo Ismael Ivo, morto por complicações da covid, em 2021. “Trata-se de uma justa e bela homenagem ao grande Ismael Ivo, muito importante para a dança de São Paulo e do Brasil”, afirma o secretário de Cultura e Economia Criativa Sérgio Sá Leitão.

Cenógrafo, figurinista, ator, bailarino, autor, Ismael Ivo foi um dos principais nomes da dança contemporânea no Brasil e no mundo, estando à frente de grandes companhias e eventos internacionais. Entre os muitos cargos que exerceu, foi diretor e curador da Bienal de Veneza e o primeiro estrangeiro a dirigir o Teatro Nacional Alemão. Em 1984, um solo de Ivo foi resenhado no jornal The New York Times. O multiartista assumiu a direção do Balé da Cidade de São Paulo em 2017. Ismael Ivo morreu aos 66 anos, em 8 de abril deste ano, vítima de complicações da covid-19.

A gestão da escola ficará por conta da Associação Pró-Dança (APD), organização social escolhida por chamamento público. A APD tem direção da bailarina Inês Bogéa e também gere a São Paulo Companhia de Dança (SPCD), corpo artístico da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado.

A SP Escola de Dança é um sonho antigo de Ismael Ivo, que queria contemplar a diversidade brasileira, por meio de uma educação integrada com acessibilidade, especialização, capacitação e direcionamento profissional em um único ambiente dedicado à formação e à profissionalização de artistas da dança.

Como cursos regulares, a escola vai oferecer cinco opções, todas com duração de dois anos e formação em nível técnico. São elas ‘Dança e Performance’; ‘Dramaturgia para a Dança’; ‘Figurino para a Dança’; ‘Multimídia em Dança’ e ‘Produção e Gestão Cultural’. ‘Iniciação à Dança’, ‘Extensão Cultural’ com cursos de aperfeiçoamento, ‘Programa de Desenvolvimento’ e ‘Projetos Especiais — Parcerias, Captação e Comunicação’ são os outros eixos do centro de formação.

Três trabalhos serão usados no desenvolvimento pedagógico da instituição. A pedagogia da autonomia, do educador Paulo Freire, as noções de território e espacialização, desenvolvidos pelo geógrafo Milton Santos, e a visão sistêmica do processo cognitivo, uma interpretação do trabalho do físico e ambientalista Fritjof Capra.

De acordo com Inês Bogéa, a formação técnica e artística primorosa com foco também no encaminhamento ao mercado de trabalho são os objetivos essenciais da nova escola. “A excelência dos formadores e os intercâmbios, as atividades práticas e os laboratórios de experimentação atravessam as linhas de atuação desse novo centro, que também vai estimular pesquisas, debates, formação de público e residências artísticas”, afirma.

Com a criação da SP Escola de Dança Ismael Ivo, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado passa a contar com sete corpos artísticos. As recentes São Paulo Big Band e Orquestra Jovem Latino-Americana de São Paulo, anunciadas neste ano; a Osesp; a Orquestra do Theatro São Pedro, a Jazz Sinfônica e a São Paulo Companhia de Dança.

Comments

No posts to display