Gabrielle Union teve pensamentos suicidas durante a pré-menopausa, um assunto que ainda é tabu

0
Gabrielle Union teve pensamentos suicidas durante a pré-menopausa, um assunto que ainda é tabu
A atriz e escritora: Gabrielle Union - Foto: Reprodução Instagram

A atriz, empresária e escritora Gabrielle Union, 48, foi fundo sobre as dores da sua vida pessoal no seu novo livro “You got anything stronger” lançando em setembro nos EUA. Na obra, ela fala sobre suas experiências como celebridade negra em Hollywood, mas também expõe momentos pesados da sua vida como quando foi estuprada na adolescência e a dificuldade para engravidar. Em várias entrevistas para promover seu livro, a atriz diz que falar sobre suas dores é importante para que outras pessoas que se identifiquem com suas vivências, não se sintam sozinhas.

Durante o programa The View ela foi questionada sobre como a pré-menopausa foi um momento perturbador para ela.

“Quando eu estava com quase 40 anos eu fui fazer meus exames que indicaram que eu estava entrando na menopausa, mas para mim até o momento, eram só números, eu não sentia nada. Quando comecei a envelhecer aos poucos os sintomas foram aparecendo. Porém em setembro, durante a pandemia, em engordei muito de uma hora para outra, minha pele ficou estranha, meu cabelo começou a cair demais”, descreve a atriz.

Ela explica que em dezembro, depois de uma discussão sem motivos sérios com o marido, o ex-jogador da NBA Dwyane Wade ela começou a ouvir “umas vozes na cabeça como se fosse intuição”.  Gabrielle lembra que a outra vez que ela ouvir essa voz, foi aos 19 quando foi vítima de violência sexual.  “Essa voz me dizia que eu deveria ir para os fundos da loja e que aquele homem iria fazer algo, mas eu não ouvi e fui para frente da loja onde fui roubada e estuprada. Então nunca mais questionei essa voz”, detalhou. No entanto, dessa vez a experiência foi bem diferente. “A voz dizia, ‘ele vai entender quando você estiver morta. Se mate’”, descreveu a atriz que destacou que a voz dizia a mesma coisa dia e noite por duas semanas.

“Eu senti que algo estava errado e liguei para minha terapeuta que disse que eu não queria me matar, era apenas ideação suicida passiva (quando a ideia suicida se restringe aos pensamentos e não à ações), mas depois descobri que tudo estava ligado aos meus hormônios. O índice de suicídios em mulheres é maior entre os 35 e 50 anos. E quando ouvimos falar sobre mulheres que se matam nessa faixa de idade é tudo sempre julgado como uma falha de caráter, tipo, ela foi abandonada pelo marido, os filhos foram embora, ela se tornou invisível no trabalho, ela não é mais sexualmente atrativa e coisas assim. Ninguém considera que possa ser algo fisiológico”.

É CULPA DO ESTROGÊNIO

Conversamos com a ginecologista Dr.ª Larissa Cassiano sobre o que acontece com o emocional das mulheres nesse período da menopausa.  “Com a redução do estrogênio (um dos hormônios que é mais impactado pelo climatério) alterações psicológicas podem acontecer nesse período, entre ela a depressão, ansiedade e alterações no sono. Essas alterações associadas podem favorecer o suicídio”, explica a médica que alerta para importância de buscar sempre um acompanhamento já que esse é um período “é um período longo de alguns anos de transição hormonal”.

A ginecologista Dr.ª Larissa Cassiano – Foto: Reprodução Instagram

Se você estiver sofrendo com pensamento suicidas e não tiver ninguém para conversar, ligue para o Centro de Valorização da vida. O número é 188, a ligação é gratuita ou use o chat https://www.cvv.org.br/chat/

Comments

No posts to display