O vereador Fernando Holiday (Novo) acionou a Justiça nesta segunda-feira (30) e pediu que a Prefeitura de São Paulo suspenda o cachê de Ludmilla pelo show realizado na Virada Cultural 2022. O parlamentar defende que a cantora fez uso de conotação política em sua apresentação no evento. “No último fim de semana, mais uma vez, a Prefeitura de São Paulo financiou um evento que acabou se tornando um Showmício pró-Lula”, escreveu Holiday nas redes sociais, referindo-se ao ato de Ludmilla ter feito a letra ‘L’ com as mãos, durante o show.

“O município promoveu evento com a cantora para promover um evento cultural, entretanto, o evento ficou marcado pela grande manifestação política em favorecimento de um pré-candidato”, continou Holiday. “O evento claramente ‘beneficiou pessoas determinadas’, uma vez que, a artista puxou a plateia para enaltecer o símbolo de um pré-candidato à presidência”.

Também através das redes sociais, Ludmilla resolveu responder o vereador, enfatizando o ‘L’ como uma menção ao seu próprio nome. “Deixa eu contar um segredo, Fernando Holiday: meu nome também começa com a letra L!. É cada uma que parece duas, ai ai…”.

Holiday, por sua vez, respondeu o comentário da cantora com a seguinte afirmação: “Toma vergonha na sua cara! Nunca fez ‘L’ nos seus shows. O povo paulistano não é idiota. A única vez que fez foi em contexto de campanha“. O valor anunciado a Ludmilla pelo show na Virada Cultural 2022 foi de R$ 200 mil, conforme informações da Prefeitura. De acordo com O Antagonista, o caso será julgado pela Vara de Fazenda Pública do Tribunal de Justiça de SP.

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments