Estudantes estadunidenses criam “Leilão de escravos” em aplicativo, simulando venda de alunos negros

0
4801
Foto: Reprodução/CNN

Na última semana veio à publico um caso explícito de racismo em uma escola de ensino médio no Texas, EUA. Alguns alunos criaram no aplicativo Snapchat um grupo em que simulava um “leilão de escravos”, onde alunos negros eram anunciados e os integrantes davam um valor por eles.

Em imagens que foram divulgadas pela CNN e estão sendo usadas para analisar o caso de racismo, um integrante do grupo diz “US$ 100 em um aluno negro” e o outro responde “US$ 1 pelo Chris. Seria melhor se o cabelo dele não fosse tão ruim”

As vítimas denunciaram o racismo e se manifestaram contra o ocorrido na reunião do conselho escolar do mês de abril após tomar ciência do caso, a escola inicialmente classificou a atitude dos integrantes do grupo como “cyberbullying com linguagem racialmente carregada”, após a reação e repúdio de pais, estudantes e moradores da cidade o ato foi dado como racismo.

A escola alegou que os alunos responsáveis pelo grupo racista estão sendo “punidos administrativamente” mas ainda não tem informações dos responsáveis e as punições que estão recebendo.

“Eu sei que falo por toda a comunidade de Aledo quando digo que sinto muito que alguns dos nossos estudantes participaram do assédio racial de dois dos nossos alunos negros em uma conversa nas redes sociais. Também sinto muito pela dor que foi causada às vítimas e às suas famílias. Foi completamente inaceitável para todos nós e não deveria ter acontecido”, comunicou a escola através de uma nota.

Informações: CNN/BHAZ

Comments