A queda do ditador Omar-Al-Bashir era uma esperança de paz  no Sudão, país no Norte da África. Porém o atual governo é composto por um Conselho de Transição Militar, desde Abril,  que se recusa a dar poder aos civis. Resultado:  um massacre que atinge milhares de pessoas inocentes de todas as idades.

Na semana passada, mais de 100 pessoas que protestavam de forma pacífica contra a junta militar na capital de Cartum, foram empurradas de pontes, outros corpos foram jogados no Rio Nilo e dezenas de crianças estão sendo estupradas todos os dias pelos militares.

Na Redes Sociais é como se essa situação não existisse e a cantora e empresária Rihanna usou seus Stories para alertar sobre esses atos terroristas cometidos contra pessoas inocentes e desarmadas.

“Eles estão atirando na casa das pessoas, estuprando mulheres, queimando corpos e jogando eles no Rio Nilo como vermes, atormentando pessoas, urinando nas pessoas, as fazendo beber água de esgoto, aterrorizando as ruas e proibindo muçulmanos de irem orar”, protestou a artista que lembrou que a região está sem Internet.

Ela ainda mostrou números aterrorizantes sobre a tragédia, como o de pessoas desaparecidas que chegou a 1000.

500 pessoas mortas, 723 feridas, 650 presas, 48 mulheres estupradas, 6 homens estuprados e 1000 desaparecidos (Reprodução/ Instagram Rihanna)

Mais uma vez as tragédias negras não são destaques em lugar algum.

 

Comments

Comentários