A queda do ditador Omar-Al-Bashir era uma esperança de paz  no Sudão, país no Norte da África. Porém o atual governo é composto por um Conselho de Transição Militar, desde Abril,  que se recusa a dar poder aos civis. Resultado:  um massacre que atinge milhares de pessoas inocentes de todas as idades.

Na semana passada, mais de 100 pessoas que protestavam de forma pacífica contra a junta militar na capital de Cartum, foram empurradas de pontes, outros corpos foram jogados no Rio Nilo e dezenas de crianças estão sendo estupradas todos os dias pelos militares.

Na Redes Sociais é como se essa situação não existisse e a cantora e empresária Rihanna usou seus Stories para alertar sobre esses atos terroristas cometidos contra pessoas inocentes e desarmadas.

“Eles estão atirando na casa das pessoas, estuprando mulheres, queimando corpos e jogando eles no Rio Nilo como vermes, atormentando pessoas, urinando nas pessoas, as fazendo beber água de esgoto, aterrorizando as ruas e proibindo muçulmanos de irem orar”, protestou a artista que lembrou que a região está sem Internet.

Ela ainda mostrou números aterrorizantes sobre a tragédia, como o de pessoas desaparecidas que chegou a 1000.

500 pessoas mortas, 723 feridas, 650 presas, 48 mulheres estupradas, 6 homens estuprados e 1000 desaparecidos (Reprodução/ Instagram Rihanna)

Mais uma vez as tragédias negras não são destaques em lugar algum.

 

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments