“Correndo Atrás”, filme protagonizado por  Ailton Graça, Juliana Alves e Juan Paiva e dirigido por Jeferson De (‘Bróder’, M-8 Quando a Morte Encontra a Vida), encerra a programação especial do Dia do Cinema Brasileiro, comemorado no sábado, 19 de junho, no Telecine. A comédia conta a história de Paulo Ventania (Ailton Graça), um morador do subúrbio do Rio de Janeiro que enxerga no agenciamento de jogadores de futebol uma saída para seus problemas financeiros. Ele encontra Glanderson, interpretado por Juan Paiva, jovem jogador que, em função de uma deficiência física, não possui dois dedos e joga de forma particularmente brilhante.
A comédia mostra a busca da dupla dos dois em busca do sucesso.  O filme é baseado no  livro de Hélio de La Peña, “Vai na bola, Glanderson”, lançado pela Editora Companhia das Letras em 2006.

Correndo atrás - Festival do Rio
Imagem: Divulgação

A produção é marcada pelo protagonismo preto. Filmado em 2016, mas só lançado agora, os membros da equipe brincam com o fato do filme ter trazido o protagonismo preto na produção antes de ‘Pantera Negra‘ no que Ailton Graça define como “Quilombo Cinematográfico” O ator, conhecido por trabalhos como no filme ‘Carandiru’ e na novela ‘Império’ falou em entrevista de lançamento na qual o Mundo Negro estava presente sobre a luta para que o filme ganhasse acessibilidade ao público.
“Esse filme é um acontecimento para gente. A gente já estava tentando desenvolver algo que falasse sobre o cinema negro no Brasil. Como ele aconteceria. Aí chegou para gente essa história. Tivemos encontro o Jefferson, o Helio, eu e quando vimos que podíamos fazer um filme genuinamente brasileiro com um cinema produzido, escrito e protagonizado por negros, mexeu com todo mundo”, diz o ator.

Juliana Alves concorda com o colega ao enfatizar a importância da representatividade em tela. “Correndo Atrás ” é um filme pioneiro. É um filme que veio trazer um sonho Eu, quando me vejo artista, o sentido desse ofício se torna muito mais real quando a gente consegue fazer um filme com pessoas lindas e mostra um poder que a gente tem. Temos uma equipe maravilhosa e enquanto for necessário vamos continuar hasteando essa bandeira. Quando o Hélio pensou esse filme ele não necessariamente estava pensando nisso, mas é lindo ver o poder da arte, como é possível contar uma história interessante e juntar com uma transformação social que a gente espera tanto”, conta.

Imagem: Divulgação

O roteirista do filme, Hélio De La Peña e o diretor, Jeferson De comentaram sobre o filme colocar justamente o homem hétero branco em condição de minoria dentro da produção e comentaram sobre como a mulher negra ganha destaque personalizada na personagem Jurema, defendida por Juliana Alves. “O que faz o filme muito feminino são as nossas atrizes. A Juliana Alves puxou muito para ela, é uma composição dela. A Juliana, boa parte do que está lá, grande parte da população brasileira tem as características da Jurema. Juliana trouxe de uma mulher incrível, educa esse homem negro, tanto o filho quanto o marido. É um filme muito brasileiro”, conta Jeferson que ganha o reforço da intérprete:”Ela é uma leoa. Ela quer o melhor para o filho, ela sabe que o filho merece e precisa do melhor. Ela joga duro mesmo, mas permite que o amor contamine essa relação. É uma mulher que ama muito, mas ela sabe que dentro do amor está o rigor”, reflete Juliana Alves.

O elenco tem dificuldade em lembrar quando foi a primeira vez que eles mesmos se viram representados nas artes, o que torna a produção de “Correndo Atrás” emblemática. De La Peña lembra de Mussum como fator de identificação. “Foi a primeira figura com a qual eu me identifiquei”. Ailton Graça conta entre risos que sua família não tinha TV, mas que ouvia os barulhos da TV em outros barracos do bairro e que para ele todo mundo era parecido com ele,mas que a primeira vez que pôde ver televisão se identificou com Grande Otelo e posteriormente ao ator bahamense estadunidense.Sidney Poitier, enquanto Juliana Alves diz que nunca teve facilidade em lembrar de mulheres negras retintas para poder se enxergar.

A produção de “Correndo Atrás” foi descrita pela equipe como uma celebração de alegria negra. O filme conta ainda com elenco estelar composto por Lázaro Ramos, Rocco Pitanga, Tonico Pereira, o também roteirista do longa Helio de La Peña,Lellê,Dadá Coelho, Nicole Bahls, Francisco Gaspar,Teka Romualdo, e participação especial de Antônio Pitanga.

Serviço:

Estreia – “Correndo Atrás” – direção de Jeferson De – 86 minutos

Telecine Premium – sábado, 19 de junho, às 22 horas 

Telecine Pipoca – domingo, 20 de junho, às 20 horas 

O filme estará disponível em streaming a partir de sábado, 19, no Telecineplay para os assinantes do serviço

Veja abaixo as datas de reprise: 

Telecine Premium  – segunda-feira, 21 de junho – 20H25 

Telecine Pipoca – quarta-feira, 23 de junho, às 22 horas            

Telecine Premium – quinta-feira, 24 de junho – 23H55 

Telecine Pipoca – sexta-feira, 25 de junho – 18H10         

Telecine Premium – domingo, 27 de junho – 08h40

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments