Que a publicidade brasileira dá muita bola fora na questão de representatividade racial, a gente já sabe, até porque usar “Black is Beautiful” como slogan de papel higiênico não é algo fácil de esquecer.

Felizmente estão começando a notar que por mais premiadas que as agências e seus profissionais sejam, a maioria não sabe quase nada sobre a negritude brasileira, sim, aquela  das pessoas que representam mais de 50% da população.

Se a educação é parte da solução o novo curso da ESPM  “Me Representa – Marcas e Representatividade” vem em um ótimo momento. Realizado no  Rio de Janeiro, o curso começa no próximo dia 23 de março.

“No curso, questionaremos desde o olhar de publicitários, até quadro de funcionários, e de que temos várias agências de pretos e pretas atuando no mercado de forma fantástica”, explica Jana Guinond  Atriz, pedagoga e idealizadora do Programa Usando a Língua e uma das professoras do curso ministrado 100% por professores negros.

Foto: Arquivo Pessoal

“Gostaria de ressaltar a grande impulsionadora dessa ação que é a mulher preta Luciana Cruz, que trabalha há dezoito anos na ESPM, iniciou na parte administrativa como bolsista e que hoje é responsável pelo curso. Na época era moradora da Baixada Fluminense. Ela tem um olhar humanizado, na qual os publicitários precisam refletir sobre isso”, destaca Guinond.

Afro-experiência, diversidade, criação, clichês e estereótipos e padrão estético são alguns do temas do curso.

O curso acontece do dia 23/3/2018 a 12/5/2018.
Para saber mais e se inscrever, acesse: http://bit.ly/2Ey8W8C

Comments

comments