Chadwick se foi e parece que perdemos um parente

0
Chadwick se foi e parece que perdemos um parente
Chadwick Boseman abraça Lupita Nyong'o ao lado de Dani Guria - Foto: Reprodução Twitter

Mesmo em um ano caótico como 2020, por essa ninguém esperava. Escrevo esse texto ouvindo o álbum do Black Panther horas depois de saber da passagem de Chadwick Boseman, o ator afro-americano que nos fez amar ainda mais nossa negritude pela maneira lendária que viveu T’challa, o Rei de Wakanda, o nosso Pantera Negra nas telas do cinema. O ator lutou uma batalha que durou 4 anos e infelizmente, seu adversário, o câncer, venceu. Ele tinha 43 anos.

Digerindo essa devastadora notícia, pensei muito no elenco de Pantera Negra e em como Lupita Nyongó, Latitia Wright, Danai Guria, Winston Duke,  Michael B. Jordan e Angela Basset souberam dessa tragédia.

Pantera negra e o elenco dos sonhos – Foto: Reprodução Facebook

Nas memórias sobre o ator, recordo do carinho com as crianças, com os mais velhos, com os fãs, com a comunidade negra ao redor do mundo é isso o que o tornou um herói de verdade.

Chadwick Boseman celebrando o aniversário de uma garotinha hospitalizada com câncer – Foto: Reprodução Instagram

Além do Chadwick que vimos como líder de Wakanda, a maneira que ele, o homem fora das telas, se dedicou para promover o filme da Marvel, tendo a plena ciência do quão revolucionário era o seu personagem para todas as gerações foi algo que me fez amá-lo tanto quanto seu personagem. E quando digo amá-lo, me refiro ao afeto que criamos com pessoas que mesmo que nunca conheçamos nos inspiram a  torcer por elas, celebrar suas vitórias como se fossem alguém da nossa família.

O coração pesa quando artistas que tocam nossa alma se vão porque em nosso coração o fato delas nem saberem da nossa existência, não faz diferença. No caso de Chadwick nem seria um amor platônico. A dedicação dele aos personagens negros era a forma dele mostrar o quanto ele amava sua comunidade negra. Pessoas como eu.

Boseman foi um homem negro que humanizou a imagem dos seus pares em papéis históricos.  Além de Pantera Negra, por meio da sua excelência na arte da interpretação nos emocionamos ao vê-lo como James Brown (lenda da música) e Jackie Robinson (primeiro jogador negro da história da MLB) no cinema.

Boseman como James Brown – Foto: Reprodução Twitter

Chadwick foi para gente um herói que ele nunca teve. E como ele, jamais teremos.

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments

No posts to display