BBB21: João Luiz e a importância da permanência do professor no reality

0
1542
Foto: Reprodução/TV Globo

O brother João Luiz está correndo risco de eliminação no paredão desta quinta-feira (22), nas últimas semanas, João ficou em evidência no programa após denunciar uma situação racista que sofreu quando o sertanejo Rodolffo comparou seu cabelo crespo com o de uma peruca de um homem das cavernas.

Infelizmente, vítimas de racismo nesse tipo de entretenimento na maioria das vezes são consideradas vitimistas e “mimizentas” e não foi diferente com João, na mesma proporção que ele foi acolhido pela comunidade negra, foi criticado pelos outros telespectadores, desde então, João Luiz tem a sua permanência ameaçada no reality. 

Nós viemos ressaltar a importância do professor no reality show e o que sua vitória simbolizaria.

Uma história que inspira:

João Luiz tem 24 anos e é professor de história, ganha em torno de R$2 mil reais e inclui o gasto com passagens para ir trabalhar, mas ainda assim é apaixonado pelo que faz. João é gay e mora com o namorado Igor Moreira, o professor em sua entrevista para o reality contou que já sofreu muito preconceito por ser negro e gay, mas ainda assim, falar sobre sua sexualidade é uma das coisas que mais gosta de fazer.

A história de João inspira muitos homens, negros e gays que precisam lidar com o racismo e a homofobia que não tiram folga no Brasil, e a vitória do brother significaria muito além de dar o prêmio de R$ 1,5 milhão para um professor de geografia, seria mostrar que o Brasil escolheu e acolheu um professor, gay e negro para vencer um dos reality’s mais assistidos do país.

Falas que importam:

Nesses 3 meses no reality, João já protagonizou debates incríveis que ajudaram pessoas a entenderem melhor diversas questões sociais e raciais, em uma breve conversa em que a sister Juliette foi bifóbica, o participante de forma muito didática desmitificou um preconceito que cai sobre pessoas bissexuais e tirou a dúvida de muitos telespectadores a respeito da comunidade LGBTQIA+

“Lucas despirocado, bissexual. Aí ele não decidia se ele queria mulher ou homem, aí, confuso…”, disse ela. João respondeu, dizendo: “Mas não precisa decidir”. “Mas ele quis os dois, então quem tem dois não tem nenhum” disse a maquiadora. João então disse a Juliette que pessoas bissexuais não precisam decidir entre um ou outro e que a bissexualidade não se trata de indecisão. O diálogo repercutiu muito aqui fora, e foi esclarecedor para muitas pessoas que ainda não entendiam sobre bissexualidade.

https://twitter.com/joaoluizpedrosa/status/1378433482989445121

Resistência negra:

Como mencionado, o professor passou a ser perseguido por um grupo de telespectadores que não acharam correto o posicionamento do brother contra o racismo que sofreu, isso acontece em muitos casos de racismo, em que a vítima passa a ser considerada culpada, já que o acolhimento que pessoas brancas recebem é muito maior do que o de pessoas pretas, por pouco o sertanejo Rodolfo não permaneceu no programa mesmo após a fala racista e agora, as pessoas querem punir João pelo racismo que ele mesmo sofreu. Isso nós vemos diariamente, seja na nossa realidade ou ficção, pessoas negras são questionadas por ter sofrido racismo enquanto quem praticou é facilmente perdoado.

Confira algumas frases que mostram como pessoas brancas esperam ser ensinadas sobre o racismo que elas mesmas criaram:

“O Rodolffo errou,  errou.  Mas como professor, o João como professor deveria dar o exemplo e ter conversado antes e explicado, à quem precisa ser ensinado, jamais apredejar.” publicou um telespectador

“Ver o lado do João e entender que não é vitimismo, e tentar entender o lado do Rodolffo sem querer crucificar ele, e sim ensinar. É sobre isso gente” postou outra telespectador

“O Rodolffo é muito querido, gente boa. Foi tratado como um canalha, foi humilhado.” publicou um internauta

Toda a questão envolvendo o racismo que o João sofreu e a reação do público mostra o quanto pessoas negras precisam agradar a tudo e todos o tempo todo, esperavam do João uma reação mansa, esperavam que ele explicasse didaticamente sobre racismo e o João fez o oposto. Ao não ter o que esperavam, passaram a trata-lo como vilão. O público branco precisa entender que pessoas negras não estão aqui para suprir expectativas criadas sobre elas, e a permanência do João na casa se trata de quebrar essas perspectivas de “negro submisso”  

Na edição mais preta do reality, a história vai se repetindo, assim como foi com Thelma e Babu na vigésima edição, o público branco espera que pessoas negras ajam de forma que os agrade sempre, de forma que se assemelhe ao ideal de negro que eles criam, e denunciar o racismo e não se calar diante de injustiças vai contra esse ideal.  

João Luiz precisa ficar, porque além da sua contribuição no reality e sua história de vida, sua permanência simboliza a resistência negra, que embora seja só em um reality show, significa muito na nossa realidade. Pessoas pretas não precisam se calar e ir contra os próprios ideais para ser aceitas.

João Luiz enfrenta Arthur e Pocah no paredão desta quinta-feira (22), o perfil oficial do professor declarou ser #ForaPocah neste paredão.

Comments