AfroSaúde libera acesso a plataforma para busca de profissionais de saúde negros

0
1272
Imagem: Istock

A AfroSaúde é uma health tech de impacto social focada em desenvolver soluções tecnológicas em serviços de saúde para a comunidade negra. Pensando no problema do racismo estrutural, a empresa quer dar visibilidade ao profissional de saúde negro e conectá-los a pacientes que buscam representatividade e atendimento mais qualificado quanto às especificidades da população negra.

Na plataforma, além da funcionalidade do cadastro para profissionais, os pacientes podem buscar especialistas por estado e cidade, com a opção de filtrar a forma de pagamento e os convênios atendidos. Serão exibidos o nome, a profissão, as áreas de atuação, os locais de atendimento e contatos, sinalizando ainda se o profissional realiza atendimento online e/ou domiciliar.

Profissionais de saúde negros de diversos estados brasileiros já realizaram o cadastro na plataforma AfroSaúde, que liberou o acesso para que pacientes possam buscar médicos, dentistas, psicólogos, esteticistas e outras especialidades. A busca pode ser feita pelo endereço https://app.afrosaude.com.br/.

Combate à desigualdade

Dentre os pilares que norteiam a AfroSaúde está o combate ao racismo e à desigualdade no mercado de trabalho. Isso porque, embora a população negra seja a maioria no Brasil, ela ainda ocupa uma pequena parte dos cargos de gestão nas grandes empresas. Na área de saúde, os números são ainda mais preocupantes.

Para o dentista Arthur Lima, um dos fundadores da startup, a ideia surgiu a partir da própria experiência e de relatos de pacientes. “Atuando na área, percebemos o quanto o racismo consegue fazer com que a desigualdade seja latente com os profissionais de saúde negros e essa é uma percepção também dos pacientes que, quando veem um médico, dentista, fisioterapeuta e outro profissional de saúde negro atuando, se espantam positivamente, porque não é comum. Por isso, queremos contribuir para dar visibilidade a esses profissionais e fazer com que os afrodescendentes se sintam mais representados no atendimento em saúde”, completa.

Além da visibilidade, a startup pretende contribuir para a formação dos profissionais, ofertando workshops, cursos e outros conteúdos relacionados à área de saúde, gestão, finanças e acerca da Política Nacional de Saúde Integral da População Negra, instituída no Brasil em 2009.

Comments