AfroeducAÇÃO cria programa de atividades culturais para reforçar a necessidade de tirar a Lei 10.639/03 do papel

0
AfroeducAÇÃO cria programa de atividades culturais para reforçar a necessidade de tirar a Lei 10.639/03 do papel

Em 2018 a Lei 10.639/03 completa 15 anos e ainda enfrenta dificuldades para ser executada e devido a isto, a AfroeducAÇÃO, que comemora 10 anos, criou um programa de atividade culturais para reforçar a necessidade de tirar a lei do papel. Trata-se de uma série de atividades que acontecerão durante todo o ano e incluem, além do cinema, rodas de conversa, leituras e festival multicultural.

Criada em 2003, a Lei 10.639/03 foi encarada como um grande ganho na esfera educacional, ao se apresentar como uma grande ferramenta no esforço de minimizar a dívida histórica-social que o Brasil tem com suas matrizes africanas e afrodescendentes.

O intuito era incluir no currículo oficial da Rede de Ensino (pública e particular, nos ensinos fundamental e médio) a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Africana e Afrobrasileira“. E seu detalhamento era ainda mais progressista, prevendo que fosse transmitido o conhecimento sobre a luta histórica dos negros no Brasil e sua importância na formação da sociedade nacional nas áreas social, econômica e política.

Os professores perceberam desde o começo que o desafio de aplicar esse conteúdo em sala de aula continuaria enorme. As instituições de ensino pouco fizeram no sentido de instrumentalizá-las(os) para ministrar esse conteúdo, deixando-as(os) sem baliza quanto às orientações pedagógicas. Cada docente passou a agir de forma autônoma sobre a questão, o que gerou uma enorme falta de coesão na didática deste conteúdo. Frente a essas dificuldades, muitas(os) professoras(es) conseguiam somente trazer o tema em novembro, com o gancho do Dia da Consciência Negra. Muito pouco, para uma vastidão de conhecimento a ser construído.

Desde 2008 a AfroeducAÇÃO, que atua na interface da educomunicação, no esforço de capacitar educadoras e educadores para a aplicação da Lei 10.639/03, possui uma série de atividades educativas-culturais que proporcionam uma visão alternativa das vias de aplicação pedagógica desse conteúdo. É o caso, por exemplo, do sessão AfroeducAÇÃO no Cinema, realizado há 8 anos em parceria com o Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca e o Clube do Professor. Nessa atividade, as(os) professoras(es) assistem a diversos filmes de realizadoras(es) negras(os) brasileiras(os), e tem contato com obras e informações que podem ser aplicadas como material didático.

Para manter este projeto, a AfroeducAÇÃO lançou uma campanha de financiamento coletivo pelo portal Benfeitoria. A colaboração mínima é de R$15 e as contrapartidas são todas relacionadas ao universo negro. A campanha fica no ar até dia 10 de junho, para acessar, clique aqui.

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments

No posts to display