2ª edição do Nicho Novembro discute direito ao trabalho no audiovisual brasileiro

0
278
Raul Perez, Fernanda Lomba e Heitor Augusto - Fundadores do Nicho 54 / Foto: Nathalia Henrique

Entre os dias 9 e 15 de novembro, o Nicho 54, instituto que atua no desenvolvimento de carreira de profissionais negros no audiovisual, realiza a segunda edição do Nicho Novembro. O evento, que neste ano ganha versão virtual devido à pandemia do COVID-19, reúne mostra de filmes, laboratório de desenvolvimento de projetos de criadores negros e painéis que reverberam o tema da edição deste ano “Audiovisual como direito ao trabalho”. As atividades são gratuitas e serão transmitidas pela plataforma Zoom e na página do Nicho 54 no Facebook. Os filmes da mostra serão exibidos em uma plataforma exclusiva disponível no site do instituto, desenvolvida em parceria com a Quanta.

A escolha do tema da edição tem como base o aprofundamento em diferentes aspectos sobre como a cultura desse setor impacta profissionais negros e quais são os paradigmas que devem ser questionados rumo a uma cultura de trabalho não-excludente. “O setor audiovisual se apoia na ideia da ‘fábrica de sonhos’, definição pode esconder relações de trabalho nebulosas, calcadas no deslumbramento e no discurso de meritocracia. Sendo uma atividade historicamente relegada às elites, o mercado de cinema brasileiro reproduz vícios de espaços construídos sem a participação das múltiplas perspectivas negras”, afirma Raul Perez, cofundador do instituto Nicho 54.

A programação inclui atividades que refletem os três eixos de atuação do instituto: formação, mercado e curadoria. No eixo formação, o Lab Nicho 54 será a grande novidade desta edição. Trata-se de um laboratório de desenvolvimento de projetos audiovisuais de criadores negros.  Já os painéis irão nortear o eixo mercado, a partir do tema “Audiovisual como Direito ao Trabalho”, e irá reunir profissionais, intelectuais e especialistas brasileiros e internacionais. No eixo curadoria, a mostra de filmes exibe quatro longas-metragens e 12 curtas. São histórias oriundas do Brasil, Quênia, Estados Unidos, Angola, Ruanda e França. 

MAPEAMENTO

Durante a abertura do Nicho Novembro, o Nicho 54 lança o Mapeamento de Profissionais Negros, uma convocatória aberta para todo o Brasil com o intuito de reunir informações quantitativas e qualitativas sobre a participação negra no mercado audiovisual. 

As informações serão utilizadas como base para a formulação de políticas e programas do instituto Nicho 54, bem como em ações de sensibilização com agentes de mercado para a criação de oportunidades para profissionais negros. Os participantes terão disponíveis um portfólio online com informações sobre formação, experiência, área de atuação, área de interesse, entre outros dados profissionais para apresentar a possíveis contratantes.

A ação tem apoio do Instituto Ibirapitanga, que oferece suporte econômico e institucional a organizações que contribuem para o fortalecimento da equidade racial no país. 

Todas as atividades do Nicho Novembro são gratuitas e abertas ao público. 

SERVIÇO

O quê? Nicho Novembro – 2ª edição

Quando? De 9 a 15 de novembro

Onde? Pela plataforma www.nichonovembro.com.br e pelo Facebook do Nicho 54 www.facebook.com/nicho54brasil

Comments