Projeto “Cansei”, alerta sobre os clichês racistas ouvido por mulheres negras

0
Projeto “Cansei”, alerta sobre os clichês racistas ouvido por mulheres negras

Há fotógrafos que são motivados pela natureza, amor, animais, recém-nascidos. Não diminuindo a importância deles mas, felizmente há os que se motivem por algo mais complexo, que são os questionamentos sobre a condição humana e as desigualdades.

Essa foi a faísca, que ascendeu na fotografa Larissa Isis, de 28 anos, a vontade de dar visibilidade a um público que, apesar de representar a maioria no Brasil, não é retratado pelas lentes dos bons fotógrafos: as mulheres negras.

“Eu fui duas vezes aos EUA,  na primeira voltada mais para compras, mas na última fui com um olhar mais observador em relação a presença dos negros na televisão, publicidade e imprensa, como eles aparecem muito mais do que aqui”, explica a fotógrafa de São José dos Campos. “Eu quis voltar e criar essas referências no Brasil”.

Larissa é nutricionista, com pós-graduação em Administração de empresas, mas as fotos de família, com “fundos desfocados”, despertaram seu interesse por esse tipo de arte e mesmo sem nenhuma formação acadêmica na área, ela tem um fiel grupo de seguidores no Instagram e atualmente expõe fotos do seu trabalho, o projeto “Cansei”, em São José dos Campos, como parte da comemoração do Mês da Consciência Negra, no Parque Vicentinha Aranha, até o dia 12 de dezembro. 

Projeto Cansei

“I am tired”  é um projeto dos fotógrafos americanos Paula Akpan e Harriet Evans com um registro de imagem de pessoas que escreviam em seu corpo algum tipo de cansaço em relação a alguma situação recorrente que lhes causavam incomodo. “Veio na minha cabeça que eu também estava cansada de algumas coisas e que eu poderia tocar esse projeto aqui no Brasil”. E foi o que ela fez, selecionando um grupo de mulheres negras de idades diversas que escreveram em uma lousa, frases e situações que elas estão cansadas de viver ou ouvir.

[huge_it_gallery id=”17″]

“Eu escolhi fazer só com mulheres, porque dentro de uma escala de prioridades a mulher negra está por último. Em nenhum momento eu pedi para que elas inventassem as frases, elas são verdadeiras, são o que elas  sentem ”, explica Larissa.

A militância de Larissa é recente. “Eu achava que não adiantava querer mudar, que nunca daria em nada e algumas pessoas com esse perfil, chegam em mim para falar do projeto. Alguns negros e brancos, acham que é um exagero”.

“Cansei de agredir o meu cabelo”. Essa é foi na opinião da fotógrafa, a foto mais forte do projeto. “Eu esperava que as fotografadas falassem do que não gostam de ouvir, mas nesse caso surgiu uma empatia, porque eu também estou passando por esse momento de transição capilar. “

O retorno positivo faz com que Larissa sinta que o seu projeto está cumprindo seu papel, no sentido de empoderar as mulheres. “Eu vejo pelo retorno das mulheres que me seguem no Instagram. Não estamos acostumadas a nos ver, a gente não tem referências e é isso que eu tento fazer com meu trabalho”, conclui a fotógrafa que está expondo seu trabalho em São José dos Campos.

Mais sobre o projeto “Cansei” e outros trabalhos de Larissa no site oficial da fotógrafa.

Inspirações da Larissa 

Rog Walker e Bee Walker, que fotografaram o casamento de Solange knowles, irmã da Beyonce, Andre L. Perry, Fer Cesar e Gordon Parks. “Parks já é falecido, mas suas fotos retratam muito bem a segregação racial nos EUA.

Foto de Gordon Parks
Foto de Rog Walker

Participe de nosso grupo no Telegram

Receba notícias quentinhas do site pelo nosso Telegram, clique no
botão abaixo para acessar as novidades.

Comments

No posts to display